5 Mitos que você deve desconsiderar agora a respeito da sua Marca

Tempo de leitura: 5 minutos

E vamos aqui ao último post desta série de 4 postagens sobre marcas, trazendo uma visão que muitos ignoram quando estão começando um negócio.

Eu contei primeiro como descobri o que significa de fato começar a construir uma marca.

Comecei mostrando como você pode entender o que significa a marca para um negócio e como você pode avaliar o nome da sua marca.

Depois, relacionei algumas razões que me fizeram desistir de registrar minhas marcas por conta própria, diretamente no INPI, mostrando porque um profissional especializado pode ser o diferencial nesse processo.

Em seguida, contei como perdi marcas valiosas e apresentei de forma simplificada como é o processo de registro da marca junto ao INPI, um processo fundamental que deve ser visto como um investimento para proteger o 1o patrimônio do seu negócio, que é a Marca.

Agora, vamos finalizar abordando comentários que ouvimos de forma recorrente e não são nada mais do que mitos, ideias que podemos acreditar por algum motivo, mas não representam a realidade.

post-mitos-registro-de-marca-09

Veja se por acaso você já não pensou ou ouviu de alguém algo assim:

MITO 1 – Registrar domínio é um meio de registrar marca; o registro de dominio protege 

Pode parecer óbvio, mas é a dúvida de muitos.

Você escolhe o nome da sua marca. Vamos supor – Batata Feliz (novamente não posso deixar de comentar que não estamos criando nomes aqui, certo? rs Vamos apenas ilustrar hipoteticamente algumas situações que são bem mais comuns do que se imagina)

Bom, voltando à história, colocamos batatafeliz.com.br no navegador e voilá! Nenhum site. Se ninguém usa, então não há impedimentos para esse nome ser meu, certo? Não, errado! Não existir um site não significa que este dominio não esteja registrado.

O registro do domínio pode ser feito no http://www.registro.br/

post-mitos-registro-de-marca-05

A propósito, temos uma empresa de hospedagem que registra domínios e oferece planos de hospedagem. Você pode conhecê-la clicando aqui.

Agora se o domínio está livre, então registro. Pronto, minha marca? Não. Registrar domínio não assegura qualquer propriedade sobre aquele nome. A propriedade é atestada apenas pela certidão emitida pelo INPI.

O registro do domínio é estratégia acessória, e não principal.

MITO 2 – Tenho toda uma estrutura de negócio montada há 5 anos. Ninguém reclamou a marca, então essa marca é minha 

Vamos supor que você aproveitou uma oportunidade e montou uma pequena loja de bijuterias. A loja cresceu, a identidade visual foi aprimorada, você passou a investir em divulgação e seu negócio passou a ter uma nova projeção. Uma cliente divulgou em suas redes sociais, que passou a captar mais clientes e, de repente, com o passar dos anos, sua marca se tornou uma fornecedora para muitas revendedoras.

Digamos que surja uma nova marca que deseje utilizar o mesmo nome e, ao ter contato com seu negócio, inicia uma disputa judicial. Se ela tiver registrado o nome, a vantagem será dela, mesmo que seu negócio tenha começado há mais tempo. A prioridade é de quem faz o pedido junto ao INPI. Não fique para trás!

post-mitos-registro-de-marca-06

MITO 3 – Usar um nome genérico, de uso comum, não acarretará problemas de marca

No início da minha jornada, desenvolvi um site cujo serviço era cadastrar websites em sites de busca. Como o segmento era justamente cadastro, registrei o dominio como cadastre.com.br assumindo este nome como minha marca.

Alguns anos mais tarde, perdi essa marca porque havia um concorrente que entendeu que eu estava praticando concorrência desleal utilizando um nome parecido com o dele. O nome só se diferenciava por 1 letra.

Na verdade, meu intuito nada mais foi do que usar um termo comum – “cadastre” – pois esse era o serviço oferecido, além de eu ter pensado também na otimização – que prevê aumento da relevância de um site quando o domínio tem o nome do serviço inserido textualmente logo no endereço.

Bom, ali começou meu aprendizado de que era fundamental ter um especialista em marcas que pudesse fazer essa pesquisa e assessorar a melhor forma de escolher e registrar a sua marca.

Usar um nome comum não significa que não terá problemas de marca. Os especialistas diferenciam inclusive marcas fracas (usual) de fortes (exclusivas), dentro de um contexto muito mais apurado.

post-mitos-registro-de-marca-07

MITO 4 – Estou usando uma marca em meu estado com nome similar à de outra empresa, mas que está localizada em outro estado. Logo, não há problema

Como é notório, estamos na era cada vez mais global de modo que muitos negócios chegam na web e quebram fronteiras. Se você tem um concorrente com nome igual ao seu, mesmo que fora do seu estado, isso pode sim acarretar um problema de marca para o seu negócio.

post-mitos-registro-de-marca-03

MITO 5 – O nome da minha marca é meu sobrenome, então posso ficar tranquilo

Não é bem assim. Você certamente encontrou ao longo da sua caminhada várias pessoas com um dos seus sobrenomes. Um dele pode ser seu concorrente e estar usando também o seu sobrenome. Então, ainda assim, invista no registro da sua marca e proteja seu negócio.

post-mitos-registro-de-marca-08

 

Gostou desse post? Bom, eu espero que sim! Meu objetivo com esse blog é principalmente isso: trazer minha experiência como um Empreendedor que começou do zero e, após superar muitos desafios, unir essa expertise com boas pesquisas para fornecer informações relevantes para a sua trajetória também.

Para receber as próximas informações em 1a mão, é só assinar nossa lista de emails, logo no final do post. Acompanhe minhas dicas, poderão ser de grande valor para o seu negócio também 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *